28 de fev de 2009

26 de fev de 2009

O FRIO QUE VEM DE DENTRO

Conta-se que seis homens ficaram presos numa caverna por causa de uma avalanche de neve. Teriam que esperar até o amanhecer para receber socorro. Cada um deles trazia um pouco de lenha e havia uma pequena fogueira ao redor da qual eles se aqueciam. Eles sabiam que se o fogo apagasse todos morreriam de frio antes que o dia clareasse. Chegou a hora de cada um colocar sua lenha na fogueira. Era a única maneira de poderem sobreviver. O primeiro homem era racista. Ele olhou demoradamente para os outros cinco e descobriu que um deles tinha a pele escura. Então, raciocinou consigo mesmo: "aquele negro! Jamais darei minha lenha para aquecer um negro". E guardou-a protegendo-a dos olhares dos demais. O segundo homem era um rico avarento. Estava ali porque esperava receber os juros de uma dívida. Olhou ao redor e viu um homem da montanha que trazia sua pobreza no aspecto rude do semblante e nas roupas velhas e remendadas. Ele calculava o valor da sua lenha e, enquanto sonhava com o seu lucro, pensou: "eu, dar a minha lenha para aquecer um preguiçoso", nem pensar. O terceiro homem era negro. Seus olhos faiscavam de ressentimento. Não havia qualquer sinal de perdão ou de resignação que o sofrimento ensina. Seu pensamento era muito prático: "é bem provável que eu precise desta lenha para me defender. Além disso, eu jamais daria minha lenha para salvar aqueles que me oprimem". E guardou suas lenhas com cuidado. O quarto homem era um pobre da montanha. Ele conhecia mais do que os outros os caminhos, os perigos e os segredos da neve. Este pensou: "esta nevasca pode durar vários dias. Vou guardar minha lenha." O quinto homem parecia alheio a tudo. Era um sonhador. Olhando fixamente para as brasas, nem lhe passou pela cabeça oferecer a lenha que carregava. Ele estava preocupado demais com suas próprias visões (ou alucinações?) Para pensar em ser útil. O último homem trazia nos vincos da testa e nas palmas calosas das mãos os sinais de uma vida de trabalho. Seu raciocínio era curto e rápido. "esta lenha é minha. Custou o meu trabalho. Não darei a ninguém nem mesmo o menor dos gravetos". Com estes pensamentos, os seis homens permaneceram imóveis. A última brasa da fogueira se cobriu de cinzas e, finalmente apagou. No alvorecer do dia, quando os homens do socorro chegaram à caverna encontraram seis cadáveres congelados, cada qual segurando um feixe de lenha. Olhando para aquele triste quadro, o chefe da equipe de socorro disse: "o frio que os matou não foi o frio de fora, mas o frio de dentro". *** Não deixe que a friagem que vem de dentro mate você. Contribua com seu graveto de amor e aumente a chama da vida onde quer que você esteja. Tudo fica aqui na Terra quando vamos embora e muitas vezes guardar como um avarento pra um futuro pode ser uma faca de dois gumes pois esse futuro pode nunca chegar se não usarmos o que temos agora, pra nos aquecermos mesmo que pra isso tenhamos que aquecer a outros também.

Eu tenho Valor!

Eu tenho valor

 

 

Apesar de minha máquina de escrever ser um modelo antigo, funciona bem, com exceção de uma tecla. Há 42 teclas que funcionam bem, menos uma, isso faz uma grande diferença.

 

Devemos ter o cuidado para que nosso grupo não seja como essa máquina de escrever.

Ninguém tem o direito de pensar: “afinal, sou apenas uma pessoa sem dúvida não farei diferença para o nosso grupo”.

Compreendemos que, para um grupo poder progredir eficientementeé preciso a participação ativa de todos os seus membros.

 

Sempre que você pensar que não precisam de você, lembre-se da minha velha máquina de escrever, diga a si próprio: “eu sou uma das 

teclas importantes nas nossas atividad

es e os meus serviços são muito necessários”.

De Caixa suspensa

Se há entrada, há saída!

Quando entrei na sala, vi um beija-flor voando desesperadamente, rente ao forro. Entrara, mas agora não sabia como sair. Retirei-me, para não assustá-lo ainda mais e fiquei olhando.Ele continuava a voar em voltas, junto ao forro. Fui às janelas e inverti as vidraças, deixando livres as partes de cima.  Por fim, numa de suas voltas, o beija-flor saiu por uma delas. Às vezes entramos numa situação e não atinamos com a saída. Ficamos girando, num círculo vicioso, passando  e repassando os mesmos raciocínios,  teimando nos mesmos métodos, e não dá certo. Começamos a nos inquietar, a preocupar-nos e até chegamos ao desepero. Quanto mais nos pertubamos, menos enxergamos as saídas possíveis. Ora, se há entrada, há saída! A impaciência, o temor e outros fatores negativos nos anuviam e só podem piorar a situação. Por que não paramos, relaxamos, aquitamo-nos e oramos a Deus? A saída está à nossa frente, embora não a enxerguemos. E Deus está fazendo o melhor, oferecendo várias janelas abertas, que nos levam a soluções favoráveis e a um viver livre e feliz!

Mundo dos Negócios

Era uma vez uma industria de calçados aqui no brasil que desenvolveu um projeto de exportação de sapatos para a índia.

Em seguida, mandou dois de seus consultores a pontos diferentes do país para fazer as primeiras observações do potencial daquele futuro mercado.

Após alguns dias de pesquisas, um dos consultores enviou o seguinte fax para a direção da industria:

 

Senhores, cancelem o projeto de exportação de sapatos para a índia.

“Aqui ninguém usa sapatos”.

 

Sem saber desse fax, alguns dias depois o segundo consultor mandou o seu:

 

Senhores, tripliquem o projeto da exportação de sapatos para a índia.

“Aqui ninguém usa sapatos ainda...”

 

A mesma situação era um tremendo obstáculo para um dos consultores e uma fantástica oportunidade para o outro. Da mesma forma, tudo na vida pode ser visto com enfoque e maneira diferente. A sabedoria popular traduz essa situação com a seguinte frase: “ os triste acham que o vento geme; os alegres e cheios de espírito afirmam que ele canta”.

O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos. A maneira como você encara a vida faz toda a diferença..

24 de fev de 2009

A VAQUINHA

Um Mestre da sabedoria passeava por uma floresta com seu fiel discípulo, quando avistou ao longe um sítio de aparência pobre e resolveu fazer uma breve visita ... Durante o percurso ele falou ao aprendiz sobre a importância das visitas e as oportunidades de aprendizado que temos, também com as pessoas que mal conhecemos. Chegando ao sítio constatou a pobreza do lugar, sem calçamento, casa de madeiras, os moradores, um casal e três filhos, vestidos com roupas rasgadas e sujas ... Então se aproximou do senhor aparentemente o pai daquela família e perguntou: Neste lugar não há sinais de pontos de comércio e de trabalho, então como o senhor e a sua família sobrevivem aqui? E o senhor calmamente respondeu: "Meu amigo, nós temos uma vaquinha que nos dá vários litros de leite todos os dias. Uma parte desse produto nós vendemos ou trocamos na cidade vizinha por outros gêneros de alimentos e a outra parte nós produzimos queijo, coalhada, etc ... para o nosso consumo, e assim vamos sobrevivendo". O sábio agradeceu a informação, contemplou o lugar por uns momentos, depois se despediu e foi embora. No meio do caminho, voltou ao seu fiel discípulo e ordenou: Aprendiz, pegue a vaquinha, leve-a ao precipício ali na frente e empurre-a, jogue-a lá em baixo". O jovem arregalou os olhos espantando e questionou o mestre sobre o fato da vaquinha ser o único meio de sobrevivência daquela família, mas, como percebeu o silêncio absoluto do seu mestre, foi cumprir a ordem. Assim, empurrou a vaquinha morro abaixo e a viu morrer. Aquela cena ficou marcada na memória daquele jovem durante alguns anos e um belo dia ele resolveu largar tudo o que havia aprendido e voltar naquele mesmo lugar e contar tudo àquela família, pedir perdão e ajudá-los. Assim fez, e quando se aproximava do local avistou um sítio muito bonito, com árvores floridas, todo murado, com carro na garagem e algumas crianças brincando no jardim. Ficou triste e desesperado imaginando que aquela humilde família tivera que vender o sítio para sobreviver, "apertou" o passo e chegando lá, logo foi recebido por um caseiro muito simpático e perguntou sobre a família que ali morava há uns quatro anos e o caseiro respondeu: Continuam morando aqui. Espantado ele entrou correndo na casa, e viu que era mesmo a família que visitara com o mestre. Elogiou o local e perguntou ao senhor (o dono da vaquinha): Como o senhor melhorou este sítio e está tão bem de vida ??? E o senhor entusiasmado, respondeu: Nós tínhamos uma vaquinha que caiu no precipício e morreu, daí em diante tivemos que fazer outras coisas e desenvolver habilidades que nem sabíamos que tínhamos, assim alcançamos o sucesso que seus olhos vislumbram agora ... Ponto de reflexão: Todos nós temos uma vaquinha que nos dá alguma coisa básica para sobrevivência e uma conveniência com a rotina. Descubra qual, a sua ... Aproveite esse novo ano e a proximidade do final do milênio para empurrar sua "vaquinha" morro abaixo. Força para todos

Tudo o que desejar!

Conta a lenda que certa mulher pobre com uma criança no colo, passou diante de uma caverna e escutou uma voz misteriosa que lá dentro lhe dizia:

"Entre e apanhe tudo o que você desejar, mas não se esqueça do principal. Lembre-se, porém, de uma coisa: Depois que você sair, a porta se fechará para sempre. Portanto, aproveite a oportunidade, mas não se esqueça do principal...."

A mulher entrou na caverna e encontrou muitas riquezas. Fascinada pelo ouro e pelas jóias, colocou a criança no chão e começou a juntar, ansiosamente, tudo o que podia no seu avental. A voz misteriosa falou novamente: "Você agora, só tem oito minutos."

Esgotados os oito minutos, a mulher carregada de ouro e pedras preciosas, correu para fora da caverna e a porta de fechou...

Lembrou-se, então, que a criança lá ficara e a porta estava fechada para sempre!

A riqueza durou pouco e o desespero, sempre.

O mesmo acontece, por vezes, conosco. Temos uns oitenta anos para viver, neste mundo, e uma voz sempre nos adverte: "não se esqueça do principal!"

E o principal são os valores espirituais, a oração, a vigilância, a vida!! Mas a ganância, a riqueza, os prazeres materiais nos fascinam tanto que o principal vai ficando sempre de lado...

Assim, esgotamos o nosso tempo, aqui, e deixamos de lado o essencial: "Os tesouros da alma!"

Que jamais nos esqueçamos que a vida, neste mundo, passa breve chega de inesperado. E quando a porta desta vida se fechar para nós, de nada valerão as lamentações

Comprometimento: Uma questão de Sobrevivência

Numa fazenda do interior, vivia um pequeno camundongo que costumava andar livremente pela casa, durante a noite, especialmente na cozinha em busca de guloseimas. Certa feita, ao sair para a sua incursão noturna, deparou-se com um objeto estranho, colocado bem próximo à saída de sua toca. Com os olhos arregalados de medo, notou que se tratava de uma horrenda ratoeira, pronta para lhe dar cabo à vida ao menor descuido. Apavorado, o ratinho saiu correndo até o quintal, procurando a ajuda de seus amigos da fazenda. A primeira que ele encontrou foi a galinha. Esbaforido, mal conseguia falar, e com a voz trêmula de medo disse: - Dona galinha, ajude! Há uma ratoeira na casa. Mas, para decepção do ratinho, a galinha não se mostrou nem um pouco preocupada, e virando as costas, disse apenas: - Isso não é problema meu. Eu vivo aqui no quintal, minha função é botar ovos, não entro lá na casa, portanto não tenho nada a ver com isso. O ratinho correu então em direção ao chiqueiro para falar com o porco. - Sr. Porco, socorro! Há uma ratoeira na casa. Porém o porco também não se mostrou nem um pouco preocupado e só disse ao ratinho: - Meu amigo rato, eu sou um porco, nem sequer entro naquela casa, além disso, por que eu teria que me preocupar com uma simples ratoeira? Isso não é problema meu. Saindo dali o pequeno camundongo foi direto ao curral em busca da ajuda da vaca. - Sra. Vaca, socorro, o problema é grave, há uma ratoeira na casa. No entanto, esta também não se mostrou nem um pouco disposta a resolver o problema e nem deu bola ao desespero do ratinho. - Meu pequenino amigo, eu sou uma vaca, por que iria me preocupar com uma ratoeira? Eu vivo aqui no curral, minha função é dar leite, nem mesmo entro na casa. Além disso, sou tão grande que uma simples ratoeira jamais poderia me fazer mal. O ratinho ficou desolado e durante vários dias ficou escondido em sua toca, com medo de ser apanhado pela ratoeira. Certa noite, no entanto, ouviu-se um estalo, no meio da madrugada. Era o barulho da ratoeira desarmando e prendendo sua presa. Ao ouvir o barulho o fazendeiro pulou da cama e correu até a cozinha onde estava a ratoeira, certo de que, desta vez, havia eliminado o ratinho. Mas, ao levantar correndo em meio a escuridão, não percebeu que o que a ratoeira havia prendido não era o ratinho, e sim o rabo de uma cobra venenosa, que furiosa, deu um bote e picou o fazendeiro. Picado pelo animal peçonhento, o fazendeiro ficou vários dias entre a vida e a morte, deitado em sua cama, recebendo tratamento médico. Depois de aplicar o soro, a primeira recomendação do médico à mulher do fazendeiro foi para que lhe preparasse alimentação reforçada. E nada melhor para um doente do que uma boa canja de galinha. Já era a penosa! Os dias foram se passando e, com o fazendeiro de cama, não havia ninguém para cuidar dos trabalhos na propriedade. O sítio começou então a apresentar problemas financeiros. Sem poder levantar de sua cama o fazendeiro ordenou à sua mulher que vendesse a vaca ao frigorífico para saldar as dívidas mais urgentes. E lá se foi a vaca. Virou bifes. Quando finalmente o fazendeiro se restabeleceu, a alegria foi geral. Para comemorar, sua recuperação, convidou parentes, vizinhos e amigos para uma grande festa, onde foi servida uma bela feijoada, cujo ingrediente principal, além do feijão é claro, foi o porco. Tchau porco! Moral da história: Quando há uma ratoeira na casa, todos correm perigo. Transportando para o nosso universo, esta fábula mostra a necessidade do comportamento colaborativo. Uma empresa, uma casa, uma igreja que consiga altos índices de comprometimento por parte dos seus, certamente terá uma enorme vantagem. Um grupo comprometido é um recurso disponível para levar a diante os objetivos, pois o comprometimento é a disposição de agir positivamente e é a identificação com os valores da organização e dos objetivos comuns. Se houver comportamento e colaboração, pode até ser que nem todos ganhem, mas certamente pode evitar que todos saiam perdendo. Pense nisso quando alguém lhe procurar pedindo auxílio para resolver um problema. Sucesso!
Empreendedorismo e Gestão

23 de fev de 2009

A PARÁBOLA DOS LÁPIS

O Fabricante de lápis falou com cada um de seus lápis dizendo, - Existem cinco coisas que você precisa saber antes de eu lhe enviar para o mundo. Sempre se lembre delas e você se tornará o melhor lápis que você pode ser. - Primeira: Você poderá fazer muitas grandes coisas, mas só se você permitir-se estar seguro na mão de Alguém. - Segunda: Você experimentará um doloroso processo de ser afiado de vez em quando mas isto é exigido se você quiser se tornar um lápis melhor. - Terceira: Você tem a habilidade de corrigir qualquer mal entendido que você puder ocasionar. - Quarta: A parte mais importante de você sempre estará do lado de dentro. - Quinta: Não importa a condição, você deve continuar a escrever. Você deve sempre deixar uma marca clara e legível não importa o quão difícil a situação. Todos os lápis entenderam, prometendo lembrar-se sempre, e entraram na caixa compreendendo completamente o propósito do seu Fabricante.

21 de fev de 2009

Fila Indiana

Para mim os homens caminham pela face da Terra em fila indiana. Cada um carregando uma sacola na frente e outra atrás. Na sacola da frente, nós colocamos as nossas qualidades. Na sacola de trás guardamos os nossos defeitos. Por isso durante a jornada pela vida, mantemos os olhos fixos nas virtudes que possuímos, presas em nosso peito. Ao mesmo tempo, reparamos impiedosamente
nas costas do companheiro que está adiante, todos os defeitos que ele possui. E nos julgamos melhores que ele, sem perceber que a pessoa andando atrás de nós, está pensando a mesma coisa a nosso respeito. Mude ainda dá tempo, e não esqueça... Sorria !!! ...

20 de fev de 2009

"BOM O CHÁ"

"Acontece algumas vezes que não achamos bom o chá. Descobre-se a causa quando se chega ao fundo da xícara: era o açúcar. Não estava faltando, mas estava no fundo. Teria sido necessário mexer. Talvez o que esteja faltando à nossa vida tenha ficado no fundo. Nossa vida talvez não tenha sabor porque não temos a coragem de ir ao fundo das coisas ou porque não queremos. Fazemos caretas como ao tomar chá sem açúcar. Precisamos fazer o esforço de mexer a vida, de tocar nos segredos de Deus em nós."

A mais Bela Flor

O estacionamento estava deserto quando me sentei pra ler desiludido da vida, com boas razões para chorar pois, o mundo estava tentando me afundar. Um garoto ofegante se chegou, cansado de brincar ele parou na minha frente, cabeça pendente, e disse, cheio de alegria........ "Veja o que eu encontrei !" Nas suas mãos uma flor, que vista lamentável: pétalas todas caidas, pouca água ou luz.

Querendo me ver livre do garoto com sua flor, fingi um pálido sorriso e me virei.

Mas, ao invés de recuar, ele se sentou ao meu lado e levou a flor no nariz e declarou, com estranha surpresa: " O cheiro é ótimo!!!, e é bonita também... por isso a peguei; ela é sua!" A flor a minha frente estava morta, nada de cores vibrantes, laranjas, amarelo ou vermelho, mas eu sabia que tinha que paga-la, ou ele jamais sairia. Então me estendi para pegá-la. Mas ao invés de colocá-la na minha mão, ele a segurou no ar, sem qualquer razão. Nessa hora notei que o garoto da flor era cego, não podia ver. Ouvi minha voz sumir, lágrimas despontaram ao sol, enquanto lhe agradeci, por escolher a melhor. "De nada", ele sorriu e então voltou a brincar, sem perceber o impacto que teve em meu dia.

Pus-me a pensar como ele conseguiu enxergar um velho como eu, como sabia do meu sofrimento? Talvez do seu coração, ele tenha sido abençoado com a verdadeira visão,

Através dos olhos de uma criança cega, percebi que o problema não era o mundo e sim eu, e por todos os momentos em que eu fui cego. Agradeci por ver a beleza da vida e apreciei cada segundo que era só meu.

Então levei a feia flor até meu nariz e senti a fragrância de uma bela rosa, e sorri enquanto via aquele garoto com outra flor nas mãos prestes a mudar a vida de mais uma pessoa que precisa enxergar o que possui dentro de si.

O verdadeiro amor e o dom de viver. Ótimo feriado a todos.

Mamy

Reforma Ortográfica

2009 é o ano da reforma ortográfica.

Em casos como AUTOESTIMA o hífen cai, a tua é que não pode cair.

E algumas palavras o acento desaparece, como em FEIURA.

Aliás, poderia desaparecer a palavra toda.

O acento também cai em IDEIA, só que dela a gente precisa, e muito.

O trema sumiu em todas as palavras, como em INCONSEQUÊNCIA, que também poderia sumir do mapa.

Assim, a gente ia viver com mais TRANQUILIDADE.

Mas nem tudo vai mudar.

ABRAÇO continua igual, e quanto mais apertado, melhor.

AMIZADE ainda é com "z", como vizinho, futebolzinho.

Expressões como "Eu te amo." continuam precisando de ponto.

Se for de exclamação, é PAIXÃO, que continua com "x",

como ABACAXI, que gostando ou não, a gente vai ter alguns para descascar.

SOLITÁRIO ainda tem acento, como SOLIDÁRIO,

que só muda uma letra, mas faz uma enorme diferença.

CONSCIÊNCIA ainda é com SC, como SANTA CATARINA, que precisa tocar a vida pra frente.

E por falar em VIDA, bom, essa muda o tempo todo,

e é por isso que emociona tanto.

19 de fev de 2009

DIETA DO CHOCOLATE

Coma uma barra de chocolate antes de cada refeição. Isso vai reduzir o seu apetite ao mínimo, e você comerá menos. Chocolate é um vegetal. Chocolate é feito de cacau. Cacau=vegetal. Açúcar é feito tanto de cana de açúcar como de beterraba. Ambas são plantas, o que as coloca na categoria dos vegetais. Portanto, chocolate é integralmente um vegetal. Igual a uma salada. Barras de chocolate também contêm leite. Assim, barras de chocolate são um alimento saudável. Chocolate recheado com passas, cerejas, fatias de laranja e morangos... Todas contam como frutas, então coma tantas barras quantas você quiser. PROBLEMA Como levar 1 kg de chocolate para casa, da loja, em um carro quente? Solução: coma no estacionamento mesmo. EQUILÍBRIO Se você comer quantidades iguais de chocolate preto e de chocolate branco, isso é uma dieta balanceada. Chocolate tem muitos conservantes. Logo, conserva você. Conservantes fazem você parecer mais jovem. Ponha "comer chocolate" no início da sua lista de coisas a fazer hoje. Dessa maneira, pelo menos um item da agenda você vai conseguir cumprir. Uma boa caixa de chocolate pode fornecer toda a sua necessidade diária de calorias. Não é prático, isso? LEMBRE-SE: "stressed" (estressado) soletrado de trás para a frente é desserts" (sobremesas). Portanto, sobremesas ( de preferência de chocolate) é o antídoto para o stress.

Plantando um Sonho!

Citação:

Os pensamentos são considerados os movimentos do coração

Portanto se vc ama seu coração vigiai vossos pensamentos!!!

Adoráveis Bebês